• Plano Pastoral 2016 2017
  • DMPobres17

A gastronomia

Antigamente, quase todas as casas de lavoura tinham um forno adequado para cozer o pão.

Em São Romão, o pão era normalmente preparado e cozido para oito dias, mas havia quem o fizesse para o dobro.

Na véspera da cozedura, fazia-se o “crescente” – deitar fermento na massa do pão para ela levedar durante a noite. Para a cozedura, punha-se a farinha peneirada no meio da maceira e, no centro, faziam uma pequena cova. Depois de deitar aí água a ferver com sal derretido, desenfarinhava-se a fornada com uma pá de madeira durante uns minutos, até arrefecer.

Cada fornada de pão de milho era constituída por cerca de dez boroas. Juntamente com estas, coziam-se também os bolos, que eram umas boroas arredondadas e chatas com vinte centímetros de diâmetro.

Na época da Páscoa e, por vezes em outras alturas festivas, fazia-se também uma cozedura especial de pão de trigo. Deste, fazia-se oferta a pessoas amigas e de consideração.

Pratos Típicos

São iguarias desta região as papas de sarabulho, os rojões, os enchidos e diversos pratos de bacalhau, que podem ser degustados nos restaurantes locais.

Doces Regionais

Fazem parte da confeitaria desta localidade, o delicioso Doce de Gemas e os Bolos, bem como o famoso Pão-de-ló, que podem ser degustados ou adquiridos nas diversas Padarias da região.