• Plano Pastoral 2016 2017
  • Imagem Páscoa
  • Imagem peregrina São Romão

Localização

A Paróquia de São Romão do Coronado situa-se no Norte de Portugal, Distrito do Porto, Concelho da Trofa, na Freguesia de São Romão do Coronado.

A cerca de 10 kms da sede do concelho, a freguesia de São Romão do Coronado, está situada junto da margem esquerda de um pequeno afluente da margem direita do rio Leça. Banhada pelo ribeiro de São Romão.

S. Romão constitui a Vila do Coronado, juntamente com a freguesia de S. Mamede. É delimitada pelas freguesias de S. Mamede do Coronado, Folgosa (Maia) e Covelas. Integrada na Vila do Coronado, São Romão reúne todas as condições para um crescimento urbano harmonioso, com um merecido destaque para o dinamismo de iniciativa privada. Note-se no entanto, que nem sempre fôra assim. Pois anteriormente São Romão do Coronado pertenceu ao Concelho da Santo Tirso. E imagine-se que também já fora parte das Terras da Maia.

A desagregação deu-se com a divisão administrativa, em 1836, e sequente criação do concelho de Santo Tirso. Tendo posteriormente em 19 de Novembro de 1998, sido agregada ao concelho da Trofa, e fazendo assim parte das oito freguesias, que o constituem.

Passa tambem a estrada perto de São Romão do Coronado, onde a Linha ferrea tem a Estação de S. Romão, notavel ainda ha pouco pela figura veneranda de um mendigo de longos cabellos e barba de neve, que à chegada de todos os comboyos estendia para os passageiros a mão, antes impondo que pedindo esmola, tal era o effeito artistico do seu esplêndido typo de patriarcha biblico. Residia na Folgosa, freguesia do proximo concelho da Maia, e o seu nome, segundo elle afirmava, era Primogenito Estrangeiro Carvalho de Borgonha. Calcularam-lhe o espolio em perto de 600$000 réis.

De S. Romão para a Trofa fica ao lado da via ferrea a freguezia de Covellas, antigamente da comarca e termo do Porto, concelho da Maia. O ribeiro do seu nome, que, pouco depois à estação de S. Romão, a linha ferrea atravessa, vae desaguar no Ave, junto da ponte metallica do Bougado.

José-Augusto Vieira – Minho Pittoresco (1885)